quinta-feira, maio 10, 2007

Corre Maggie corre

Look, I guarantee there'll be tough times.
I guarantee that at some point, one or both of us is gonna want to get out of this thing.
But I also guarantee that if I don't ask you to be mine, I'll regret it for the rest of my life,
because I know, in my heart,
you're the only one for me.

Ike Graham in "Runaway Bride"

Não posso concordar mais com o André. Na verdade, os filmes que povoam as nossas vidas nem sempre são obras-primas, clássicos, filmes de culto ou de autor. A minha vida tem alguns desses, poucos, no entanto. É certo que vi o Música no Coração algumas vezes, vê-lo-ia de novo, mas passei o Grease em branco, bem como Dirty Dancing e Footloose. Admito, não obstante, que também me humedeceram os olhos com Ghost – O Espírito do Amor, à data recentemente desamada pela mão impiedosa do destino que apaga as vidas como velas, ou lá como chamam a essa tal coisa do destino.
As almas erráticas dificilmente encontram consolo em filmes recatados de ambientes cozy – palavra difícil de traduzir esta- e preferem a inquietação miudinha que nos vai fazendo cócegas no estômago e nos leva daqui para ali, Ali parece melhor, dali para outro lado, Afinal ali não era tão bom como aparentemente parecia, e mais uma volta e mais um perfume, um sabor, algo mais, sempre. E depois os compromissos, um ror de gente a fixar-nos, a medir-nos de alto baixo e a dúvida que se instala Será? Será desta? É desta, sim! E passo a passo se vai até se descobrir, Não, ainda não é desta. Desculpem o incómodo. Os cabelos ao vento, os saiotes esvoaçantes. Noutra altura, noutro lugar. E de novo um outro rosto, passado algum tempo, uma outra vida e o pensamento Agora sim! E outra vez a igreja, os convidados, os vestidos alvos e fluidos, etéreos como os sentimentos, leves como as sensações. Não, ainda não.
Assim se repetiria indefinidamente, caso a química não fizesse das suas – como gosto de usar a química nesta ocasiões- e Ike e Maggie não se perdessem de amores um pelo outro. Ela entrega-lhe os ténis, depois de ter decidido que preferia ovos Benedict, casam-se longe dos olhares impúdicos e são felizes para sempre, julga-se. Secretamente ainda espero a sequela, quem sabe afinal se foram felizes para sempre.

imagem daqui

Etiquetas:

Partilhar

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

Voltar à Página Inicial