quinta-feira, abril 15, 2010

o último... (primeiro) dia...

[...]
Pouco a pouco o passo faz-se vagabundo
dá-se a volta ao medo, dá-se a volta ao mundo
diz-se do passado que está moribundo
bebe-se o alento num copo sem fundo
e vem-nos a memória uma frase batida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida
[...]
Depois vêm cansaços e o corpo fraqueja
olha-se para dentro e já pouco sobeja
pede-se o descanso, por curto que seja
apagam-se dúvidas num mar de cerveja
e vem-nos à memória uma frase batida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida
[...]
E entretanto o tempo fez cinza da brasa
e outra maré cheia virá da maré vaza
nasce um novo dia e no braço outra asa
brinda-se aos amores com vinho da casa
e vem-nos à memória uma frase batida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida

[Sérgio Godinho, "O Primeiro Dia" (1978)]

Foi há quase quatro anos que esta casa, em me vendo a espreitar da rua em silêncio, me acolheu e me deu um lugar à mesa. A partilha foi boa, mas o cansaço é muito e a maré está de feição... E assim me vou, brindando, pois claro, com vinho da casa e trazendo à mesa uma vez mais o convidado que comigo entrou devagarinho naquele primeiro dia...

Etiquetas:

Partilhar

1 Comments:

Blogger Espumante said...

Cada um sabe de si... mas tenho pena que vás. E agora quem discorda comigo sobre o "dragãoe"????
Também tive pena de nos termos "falhado" por pouco num jantar ou outro... Mas continuamos a "andar por aqui", como uma figura conhecida cá da paróquia, pelo que nunca se sabe quando nos cruzaremos de novo.
Tudo de bom para ti e sempre que venhas à mouraria e precises de alguma coisa é só usares o e-mail.
Um beijinho e que tudo te corra bem.
NR

sábado, abril 17, 2010 7:46:00 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

Voltar à Página Inicial