domingo, março 21, 2010

Dia Mundial da Poesia, António Ferra


DIGITALIZAÇÕES

O digitalizador tinha formato digital,
digitalizava cerejas, mapas e flores
dispostas no centro do écran,
digitalizava desejos escondidos
na caixa negra tridimensional

digitalizava cenouras com pixeis,
nabos com cabeça de scanner,
e porque a fome é uma imagem sem programa
que perdura além da morte virtual
configurava sardinhas de papel
mais as batatas que não cabiam no seu prato.

Com desenhos digitais cheios de megas
Queria comer tudo com o rato.

António Ferra
Livro de Reclamações
Fabula Urbis, p. 42

Etiquetas: ,

Partilhar

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

Voltar à Página Inicial