quarta-feira, maio 02, 2007

Toy Story

Antes de mais gostaria de dizer ao caríssimo leitor que não sou crítica de cinema, por isso revelo, mais abaixo, cenas cruciais do filme em causa. Se ainda não viu o filme não leia, por favor, tem de compreender que o mais interessante, para quem não faz da crítica uma profissão, é, efectivamente, revelar as passagens do filme que lhe deram mais gozo.
É claro que um crítico de cinema jamais fará isso. Ele sabe que motivar alguém para ir ver um filme anda bem longe de revelar os seus segredos.

A primeira vez que vi Toy Story, fiquei deslumbrada.
A imaginação do argumento baseado nas perguntas:
E se os brinquedos falassem?
E se para além de falarem fossem permeáveis aos sentimentos?
E se sentissem ciúmes, como o ser humano?
No primeiro filme da série existem várias cenas antológicas:
- o esquema montado pelos brinquedos para saberem quais os novos brinquedos que estavam prestes a chegar e a usurpar preferências - a ansiedade disfarçada de Woody é hilariante;
- a chegada de Buzz Lightyear à vida excepcionalmente pacífica de Woody;
- a patifaria de Woody para se ver livre de Buzz;
- a rapidez com que os restantes brinquedos condenam Woody e sem lhe darem oportunidade para se defender;
- a redenção de Woody: arriscando a própria vida para trazer Buzz Lightyear para casa;
- a tomada de consciência de Buzz que afinal é apenas um boneco;
- vários momentos de humor, por vezes negro.
- o rapaz que destrói brinquedos porque gosta de se divertir desmantelando
- a metáfora para a presença das armas de fogo na sociedade americana: o rapaz que destrói os brinquedos com pólvora (?).
- a jocosa vingança dos brinquedos.


É incrível a forma como os argumentistas exploraram a falha de carácter de Woody. Numa brincadeira ele tem a oportunidade de se ver livre de Buzz e não a desbarata. É óbvio que tal pequena "malvadez" o tortura a tal ponto que tudo fará para recuperar Buzz e trazê-lo de novo para casa.

Enfim, depois de Toy Story a animação jamais foi a mesma.


Etiquetas:

Partilhar

3 Comments:

Blogger cristina said...

Tenho o vídeo. Já vi o filme umas quinhentas vezes :)))


Buzz diz, convencidíssimo, que é de não onde do comando estelar...

Batata: «Ai sim?... Eu sou da Playschool...»

Dinossauro: «E eu sou da Mattel... Bem... eu não sou mesmo da Mattel... foi uma companhia mais pequena que foi comprada pela outra... Não é que eu me importe!...»

quinta-feira, maio 03, 2007 1:27:00 da manhã  
Blogger NancyB said...

ah ah ah ah

quinta-feira, maio 03, 2007 9:34:00 da manhã  
Blogger MPR said...

Foi revolucionário principalmente se pensarmos que foi o início do fim da animação tradicional...

quinta-feira, maio 03, 2007 10:20:00 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

Voltar à Página Inicial