quarta-feira, junho 22, 2011

Menos Estado, melhor Estado

São poucos os que entendiam a sua actual relevância para a causa pública, mas eles existiam e continuavam a gastar [ganhar] milhões. Pedro Passos Coelho prometeu extingui-los, e apesar do novo Primeiro-ministro ter informado no seu discurso de posse que não iria nomear novos Governadores Civis, as reacções não se fizeram esperar. Vão agora passar a ser geridos por secretários gerais, transitoriamente, até à sua completa extinção. As suas competências deverão ser espontaneamente apropriadas pelos Ministérios e respectivas Autarquias. Os contribuintes agradecem.

Etiquetas: ,

Partilhar

2 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Já era sem tempo de acabarem com essa mama.

quarta-feira, junho 22, 2011 2:46:00 da tarde  
Blogger Freire de Andrade said...

O facto de o Governador Civil de Lisboa se ter demitido mesmo antes de Passos Coelho ter acabado o discurso é irrelevante. Na verdade não faz falta nenhuma. Mas o ter publicado a carta de demissão no Facebook antes de o destinatário a ter podido ler parece-me lamentável, para não dizer mais.
Acabar com os Governos Civis pode ser uma medida simbólica e a poupança de dinheiro é insignificante perante a necessidade de redução de gastos, mas, mesmo simbólica, é altamente salutar (assim como a decisão do PM de passar a viajar em classe económica!).

quinta-feira, junho 23, 2011 12:32:00 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

Voltar à Página Inicial