segunda-feira, dezembro 18, 2006

A alternadeira

Sempre tive a Dom Quixote como uma editora séria, menos permeável a lixos encadernados. Afinal é a editora de António Lobo Antunes, de Manuel Alegre também. Foi com espanto que verifiquei que a mesma editora é responsável pela edição do livro da alternadeira do Porto, não por ser alternadeira, cada um leva a vida como sabe e pode, mas pelo nível inexistente das declarações e atitudes com que amiúde nos tem oferecido nos canais televisivos. Ao que parece já não sabem viver sem ela. Tenho um profundo desprezo por mulheres que encontrando num homem a sua fonte de rendimento e que, uma vez seca, vêm para os meios de comunicação fazer-se de vítimas, coitadinhas e que para cúmulo ainda falam em nome dos seus filhos. Mulher alguma, que se digne do seu género, evoca o nome dos filhos nestas situações. Dir-me-ão que nada entendo de maternidade na primeira pessoa, muito provavelmente terei uma ideia mitificada do que é trazer filhos ao mundo, mas a acreditar no sublime com que algumas mulheres descrevem a condição, a maternidade deveria ser incompatível com este lavar de roupa suja mesmo nas barbas de qualquer um de nós, a bem do equílibrio e bem-estar das crianças. Com menos espanto verifiquei que o dejecto em forma de livro, assim e muito bem o classificou Miguel Sousa Tavares, ia já em quarta edição. Que há leitores para tudo nunca houve qualquer dúvida, que há editoras para tudo também já havia pouca margem de dúvida, que afinal as editoras não têm um nome a defender constitui alguma novidade. À semelhança da profissão anterior da autora do livro, a editora tem um critério óbvio, quem lhe der mais dinheiro é quem a tem. Agora digam-me que Portugal até tem coisas boas, que nos outros países também é assim e tal. Pode até ser, mas nada disso retira uma vírgula ao longo texto de idiotices de nível execrável e abjecto com que nos deparamos aqui neste Portugal cada vez mais de pequeninos de espírito.
Partilhar

7 Comments:

Blogger cristina said...

Está bem, eu digo:

«Portugal até tem coisas boas»!!!

Não são é essas, com certeza! =)

Bem-vinda, Leonor!

segunda-feira, dezembro 18, 2006 10:52:00 da tarde  
Blogger Leonor Barros said...

Obrigada, Cristina :)

segunda-feira, dezembro 18, 2006 11:03:00 da tarde  
Blogger Carlos Malmoro said...

Eu gosto destas entradas sem rodeios...

Bem vinda, Leonor

segunda-feira, dezembro 18, 2006 11:41:00 da tarde  
Blogger . said...

Eu respeito imenso a "literatura light". E acho mal que a crítica literária descambe para a análise psico-sociológica do autor. Das cantigas de escárnio para as de mal-dizer vai o nome do alvo, como de Rebelo Pinto para Salgado. A alternadeira fez um documento histórico. As boas mães, enfim, fazem filhos que vão à alternadeira.

terça-feira, dezembro 19, 2006 3:51:00 da manhã  
Blogger BRUNO said...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

terça-feira, dezembro 19, 2006 8:38:00 da manhã  
Blogger BRUNO said...

o papel de mãe loba ferida que arreganha o dente de facto não assenta em carolina salgado, mas pode muito bem ser verdade tudo o que diz. Pode não dize-lo de uma forma literata, e é concerteza um livro cheio de hipocrísia - pois dúvido que se carolina estivesse como srª pinto da costa, jamais traria à cena pública todo este aparato.

mas...

Tudo vale nesta guerra. Chateia-me muito mais a corrupção, o à vontade dos corruptos, a sede óbvia da escola que formam, todos os dias ,ávidos corruptíveis pois é essa a cultura em que se vive no negócio, no poder, ao balcão de uma tasca, nas conservatórias e notários e em nossa casa.

Chteia-me tudo isto muito mais do que carolina salgado e o seu livro. ao contrário de pinto da costa que concerteza carolina o chateia muito mais.

terça-feira, dezembro 19, 2006 8:40:00 da manhã  
Blogger Nancy Brown said...

bem-vinda Leonor! "Portugal tem muitas coisas boas" como diz a Cristina, estas são as más. Quanto à literatura o tempo engole o que está a mais e a Dom Quixote é uma empresa como outra qualquer, o seu objectivo é o lucro!

terça-feira, dezembro 19, 2006 10:00:00 da manhã  

Publicar um comentário

Voltar à Página Inicial